Desnotícias:Cavalo preso em Ponta Grossa por estupro vai para semi-aberto com tornozeleira eletrônica

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Desnoticias logo.png

Este artigo é parte do Desnotícias, a sua fonte de ignorância 24 horas por dia.

O indivíduo indo dar um rolê com seu novo enfeite numa das patas traseiras.

PICA GROSSA, República das Bananas

Um caso muito grave de abuso da justiça brasileira se abateu em Ponta Grossa, Paranã, mostrando mais uma vez que tudo o que pinta de novo pinta no rabo do povo e que todo dia tem uma merda explodindo em Brasília. De lá do Supremo Tribunal Federal foi expedido um indulto natalino por meio do juiz Gilmar Mendes para um cavalo de nome não informado até o presente momento.

Este cavalo em questão foi apanhado por populares tentando estuprar a égua da vizinha, a Jeromana, num sítio do interior de Ponta Grossa. Rapidamente a polícia foi acionada e o meliante preso na hora. Estranhamente no dia 28/12/2017, um ano antes do julgamento que foi previsto para o terrível garanhão, este recebeu um afrouxamento em sua prisão preventiva, recebendo a oportunidade de voltar pro pasto portando uma tornozeleira eletrônica, por onde seria monitorado em caso de descumprir as normas, em especial a medida protetiva adquirida pela Jeromana que impede que o mesmo equino se aproxime a menos de 300 metros, que é a distância segura onde o coleguinha do estuprador quadrúpede não alcançar a perseguida da pobre potranca.

Segundo as informações dos direitos equestres, o acusado passa bem e está sendo muito bem atendido com rações extras e um baita banho em sua crina outrora fedorenta pela estrutura porca de seu presídio, o Haras da Cobra Morta, na mesma cidade onde todo o caos ocorreu.


Fontes[editar]