Desnotícias:Morreu o Líder Espiritual Hugh Hefner, aos 91 anos

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Desnoticias logo.png

Este artigo é parte do Desnotícias, a sua fonte de ignorância 24 horas por dia.

Esta página se adequa à Nova Política de Conteúdo Sexual.
Conteúdo impróprio para menores de 18 anos! Tirem as crianças da sala! Este artigo tem conteúdo impróprio para menores!
Este artigo pode conter pornografia pesada ou leve. De preferência, leia-o de olhos fechados...

Se ele estiver cometendo uma infração à Política de Conteúdo Sexual, por favor, reporte à moderação.


What happens in Vegas stays in Vegas, Imperialismo Ianque
(notícia requentada, mas ainda dá pra engolir)

Morreu aquele que dormiu com mais mulheres que todos os galinhas que compõe tua arvore genealógica (incluindo você).

Morreu nessa última quarta, 27, o Sumo Pontífice da Igreja Onanista Hugh Grant Hugh Hefner, após o mesmo chegar a marca de 91 ânus encaçapados numa só noite (eeeita! E haja azulzinha). O motivo pra demora na postagem desta Desnotícia, é que nossa equipe estava homenageando cada uma das senhoras que já foram capas da Playboy, e assim, prestamos uma homenagem também o falecido, por tabela.

O milionário, mais conhecido por ter criado aquela revista que nossos pais guardavam no ponto mais alto da casa, foi encontrado inconsciente na suíte de sua casa. Supõe-se que o velho tenha tentado fazer asfixia erótica afim de aumentar ainda mais o prazer naquela noite (como se já não bastassem as 91 coelhinhas), mas não conseguiu inalar quantidade suficiente de oxigênio, ocasionando a morte morrida. Apesar de rico, não se sabe se o coroa comia bem, já que sempre que aparecia com as coelhinhas, mais parecia um pai com suas filhas. Mas é sabido que ele pelo menos teve a oportunidade de comer do bom e do melhor. Ugh, Hefner! morreu trepando e diferentemente do Fará Jorge Fará, que também morreu nesta semana, ele não se fodeu.

Ao morrer, Hugh Jafner deixa uma revista a editora Abril, centena de coelhinhas laqueadas e bilhões de trilhões de crianças órfãs no ralo do banheiro ao longo destes 64 anos. Fica aqui nossa última homenagem:

Obrigado por isto, Hef.


Fontes[editar]