Empuxo

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Fisica de merda.jpg Este artigo é relacionado à física.

Toda ação tem uma reação, nem que seja um simples xingamento.

Cquote1.png Empuxo é coisa de doido Cquote2.png
Paulo Guina sobre empuxo

Sendo um conceito cigano que vaga entre a dinâmica, a hidrostática, dentro da mecânica, empuxo é uma força que empurra as coisas pra cima. Isso só funciona quando tá num fluído.

A gente conhece o empuxo por causa daquela sua tia gorda que, quando entra numa piscina de 1000 litros, joga água pra todo lado, mas o empuxo funciona também com gases. Digo, o fluido pode ser um gás, não necessariamente água. Dizer que o empuxo atua também sobre gases não significa que ele vai atuar sobre o peido da tia gorda, não vá pensar bobagem, pelo amor! Gases também são fluidos, acredite se quiser, então peido também é um fluido corporal, mas a não ser que haja uma piscina de peido, não há como o empuxo atuar nesse meio flatulento. Também numa piscina de bolinhas ou na areia movediça não há empuxo, por isso um corpo pesado afunda e morre sufocado se for vivo.

Descoberta[editar]

O empuxo no caso da gostosa da frente levanta tudo o que tiver submerso e até o que não está submerso

Esse conceito foi descoberto por acaso pelo filósofo Arquimedes, que depois do empuxo virou físico. Um rei precisava saber se uma coroa comprada numa lojinha da esquina era de ouro, e procurou o Arquimedes para ajudar nesse enigma. Arquimedes tentou pesquisar no Google mas a única página existente naquela época era do assustador.com.br, o que não ajudou muito.

Cansado de trabalhar (ele realmente achava que ficar sentado numa cadeira só pensando nas coisas é trabalhar, assim como outros na época - atualmente também, mas enfim...), resolveu relaxar um pouco em sua banheira de hidromassagem. Gordo do jeito que era, entrou na banheira e jogou quase toda a água pra fora. Foi nessa história de bêbado que ele descobriu um jeito de descobrir se uma coroa é de ouro ou é falsa: jogar na banheira e pronto.

A descoberta foi tão mágica que Arquimedes saiu de sua banheira, nu em pelo, e correu pela cidade, nu ainda, com a benga se movendo de um lado para o outro, gritando "Eureka, eureka!". Depois foi preso por atentado ao pudor, mas isso vai ser explorado em outro artigo, não aqui.

O empuxo até tenta, mas esse canhão não dá pra levar pra superfície

Mas como é que jogar as coisas numa banheira ajudou a mensurar algo? Isso ocorreu através da densidade e do volume do material que seria derrubado na água, ou seja, a coroa. Então o rei entregou a coroa para Arquimedes, que jogou na água e enferrujou imediatamente, para a tristeza do monarca. Se o rei não fosse um preguiçoso e tivesse feito isso antes, não precisava da ajuda de Arquimedes, e o empuxo só seria descoberto mais tarde, o que não mudaria coisa alguma também.

A força[editar]

O empuxo realiza a força por baixo de um iceberg de merda, causando seu equilíbrio na superfície

Cquote1.png Eu sinto um grande distúrbio na força Cquote2.png
Obi-Wan sobre empuxo

O empuxo é a força que o fluido faz para tentar remover esse corpo estranho de sua plenitude, embora também haja um pouco de gravidade, querendo se livrar dessa tranqueira, e empurrando de volta pra baixo. No caso de ou um administrador de banco de dados ou um lutador de sumô ser jogado na água, o empuxo vai tentar empurrar pra cima mas o volume e peso da banha escorrida vai causar um efeito "queda livre em fluido".

Apesar de o nome ser empuxo e levar os mais desacautelados à crença de que o empuxo é uma força que puxa, é só lembrar do verbo push, em inglês, que significa empurrar, e também engana trouxa que acha que significa puxar. Fazendo esse confronto, nunca se esquecerá mais que o empuxo empurra, mas não puxa. Quem puxa pra baixo é a gravidade. Na verdade, nesse vetor, a gravidade está empurrando pra baixo também, mas você entendeu. Nesse jogo de batata quente entre o empuxo e a gravidade, quem perde é o aluno de engenharia.

A densidade do material não vale muita coisa para o empuxo, mas isso é óbvio, é diferente jogar um folha de ouro e uma estátua de ouro na água, por exemplo. Mesmo que a densidade do ouro seja maior que a da água, o volume faz uma diferença nos testes, e a folha de ouro deverá boiar, enquanto a estátua de ouro será roubada por piratas ou caçadores de metal de praias.

Ué, cadê a porra do empuxo quando precisamos dele?

Entretanto, se o material for menos denso que a água, pode ter o tamanho que for que sempre boiará. Por isso os icebergs flutuam, pois o gelo é mais leve que a água, e é incrível que uma pancada de gelo no olho doa mais que uma pancada de água, mesmo sendo supostamente mais leve. A física e a química são totalmente retardadas nesse sentido.

Aplicação da força[editar]

Quando se joga um político brasileiro na água, você percebe que este boia. Isso ocorre porque a densidade da merda é bem menor que a da água, ou seja, a merda é mais leve que a água, por incrível que pareça também, e por isso o empuxo faz o trabalho corretamente tentando expulsar essa merda de sua base. Se você nunca viu um político brasileiro sendo jogado na água, tenta fazer isso com o vereador mais próximo para confirmar a tese. Considerando esse fato, imagina como deve boiar firme um iceberg de merda, mesmo com todo o volume.

Que beijinho gostoso que o empuxo e sua expulsão fecal proporcionam ao cagão

Então, como a densidade do material não importará tanto para o empuxo propriamente dito, mas importará pra saber se algo afunda ou não, o volume do material ficará inútil depois de tal material ser jogado no fluido, após o empuxo realizar seu trabalho (tendo sucesso ou fracassando). Quanto maior o volume, maior o empuxo. Essa é uma força infinita, podemos jogar a maior e mais pesada coisa que existe nesse universo, a sua mãe depois de almoçar feijoada com caipisaquê de kiwi, que sempre haverá empuxo pra tentar empurrá-la, mas o risco de criar tsunamis com esse teste é de 100%. Numa escala menor, sem correr risco de inundar o Japão com uma experiência perigosa, com a queda proposital de uma esfera de ferro, uma esfera de isopor e uma esfera de merda, de mesmo volume, a força do empuxo será a mesma. Somente depois é que o peso do material fará a diferença e haverá uma corrida pra chegar à borda da água, provavelmente vencida pela bola de isopor de tudo correr bem, sem trapaças, enquanto a de ferro já estará no Mar da China a essas horas.

Se o peso do material for igual ao do fluido, na altura que o material for colocado ficará, em estado de puro e belo equilíbrio, igual um feto na bolsa da mãe. Isso pode ser visto se colocarmos uma bola de água líquida dentro da água líquida, que ficará em perfeito equilíbrio. Já um material muito mais leve que a água não conseguirá ficar submerso naturalmente. Pensemos numa bola de praia gigante, maior que um automóvel. A força pra enfiar esse troço embaixo da água será tanta que um homem comum não conseguirá, tamanho o empuxo atuando nessa bola de praia de Itu. Com esse efeito do empuxo é que os baiacus conseguem dar um dibre na gravidade querendo empurrá-los pra baixo, virando uma bolinha de praia e usando o empuxo como transporte.

Por causa desse fenômeno é que os navios conseguem boiar, mesmo tendo tanto peso, mas seu peso dividido pelo seu volume os tornam mais leves que a água, sem falar que o casco ajuda um bocado. No caso de um afogamento forçado tipo de máfia americana, o peso da pessoa até poderia fazê-la ficar em equilíbrio, já que o corpo humano é formado, em sua maioria, por água, mas o peso do bloco de cimento nos pés ajuda a burlar esse empuxo.

Uma outra aplicação bem teórica do empuxo é no caso de evacuação de bosta anal na privada. Ao liberar a massa fecal, esta atinge a água com o poder da gravidade, o que faz expulsar parte da água equivalente ao peso do toroço, que dependendo do que o caboclo jantou, pode ser um mini-tsunami na porcelana. O empuxo então precisa expulsar essa massa dura da água, o que faz boiar esse material desagradável, mas não sem antes jogar água direcionada ao buraco enrugado da vítima que enxágua por dentro, o popular beijo de Poseidon.

Fórmulas[editar]

Crystal Clear app xmag.pngVer artigo principal: Princípio de Arquimedes

O artigo nem existe ainda (e não acredito que vá existir), mas duvido muito que você vá ler quando alguém criar. Imagino que você prefira ler artigos mais interessantes como anã gostosa, coelhinhas da Playboy ou Dirty Garden Girl...

Ver também[editar]