Kodomo

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
GarotinhaBoo.gif Este artigo trata de crianças realmente CHATAS!

Que fofinho, este artigo é sobre uma criancinha bobinha. Edite-o até ela
deixar de ser fofinha, senão Maísa irá te ligar!

Wikisplode.gif
Para os neo-ateus que preferem acreditar em mentiras, os supostos experts da Wikipédia têm um artigo sobre: Kodomo.
Traçado simples, cores primárias, típicos elementos do Kodomo.

Cquote1.png Você quis dizer: Shotacon Cquote2.png
Google sobre Kodomo
Cquote1.png Experimente também: Teletubbies Cquote2.png
Sugestão do Google para Kodomo
Cquote1.png AAAAAAAAAAAA! Que coisa chata. Cquote2.png
Você sobre animes kodomo.
Cquote1.png De novo! Cquote2.png
Sua irmã pirralha sobre um episódio de kodomo.
Cquote1.png Eu escolho você Bucetachu! Acaba com ele! Cquote2.png
Protagonista de kodomo.

Kodomo é a designação técnica que os otakus arranjaram para dar aos animes/mangás destinados a pirralhada, animes de enredo simples, cores alegres e com vilões muito bonzinhos que sempre se arrependem e que tal como nos shoujos se morrem viram mera purpurina brilhante, lidando com o conceito de morte da forma mais didática possível, para a faixa etária que assiste a essa porcaria.

Como surgiu isso[editar]

Cquote1.png Uma turminha do barulho vivando aventuras que farão seu filho ficar preso no sofá! Cquote2.png
A premissa básica do kodomo.
Sim, eles fazem hentai de TUDO.

A ala infantil é explorada desde o início dos tempos pelo ramo do comércio, sim, crianças dão dinheiro, pois elas tem o incrível poder de fazer seus pais gastarem rios de dinheiro com elas, comportamento esse surgido no nosso processo evolutivo que gerou todo esse cuidado parental. À base dos berros, todo guri é capaz de tomar o poder financeiro da casa, tornando seu pai mera ferramenta de acúmulo de capital para seus macabros planos.

Com tal conhecimento do poderio infantil e da pressão econômica que essa classe exerce no mercado consumidor, certos japoneses para lá de sacanas, vendo o quanto ganhavam os produtores de Barney, o Dinossauro decidiram lançar sua própria linha de desenhos, cuja finalidade era alienar a mente das crianças do país e fazê-las torrar todo o dinheiro possível em bonequinhos, videogames e tantas outras porcarias, sem utilidade prática para qualquer ser normal.

Esses animes e mangás logo foram lançados para as massas, em questão de dias tornaram-se febres entre o público com menos de 10 anos, que adoravam ter um herói e sua besta-fera amarela kawaii vivendo as mais perigosas aventuras, tudo em clima de muita curtição. Esse novo ramo da animação estava aberto, agora os japoneses poderiam assistir porcarias similares a Teletubbies, só que alimentando o mercado interno.

Do que se trata[editar]

Anime kodomo é o distribuído para alegrar aos pirralhos de plantão que dominam as casas no período em que não estão na escola, local esse onde eles tem suas personalidades reprimidas e onde velhinhas enrugadas tentam enfiar números nos vazios cérebros das crianças. Kodomo é todo anime que entope cérebros infantis, dificultando o aprendizado e esquentando a venda de piões estilizados e tantas outras coisas que só fazem sentido na concepção de mundo infantil.

De uma maneira geral os kodomo são desenhos com crianças e seus bichinhos estranhos, podendo ser ratos elétricos, lagartixas que tossem fogo ou, ainda, gatos azuis gigantes e sem orelhas. Animes kodomo, também, foram a forma que muitos pais encontraram de educar seus filhos, pois nesse tipo de desenho sempre há discursos inflamados sobre amizade e lealdade, sobre como a pessoa deve ser, da mesma forma que há incentivos a zoofilia, pois os animais e os humanos apresentam sempre uma relação próxima demais. O único problema é se o guri decidir mudar de canal e pôr no especializado em seinens e, a partir daí, achar que ele é o Gatts.

Montando o seu próprio Kodomo[editar]

Vai dizer que o Hamtaro não é kawaii.
Exemplo de personagem de kodomo, um gato alien sem orelhas, ensinando aos seus telespectadores mirins como se masturbar.

Se você caro leitor, também, estiver afim de se embrenhar nessa densa selva que é o mundo das publicações de quadrinhos japoneses e arriscar nesse ramo como mangaká, nós, da Desciclopédia, possuímos o mais completo guia para a construção caseira de um kodomo de sucesso numa versão que até mesmo você no auge da sua desinteligência pode compreender.

  1. Escolha como protagonista um garoto pirralho corajoso, destemido e, por isso mesmo, burro que se mete em lugares bizarros e perigosos por sua coragem sem igual.
  2. Tem de haver um grupinho, para mostrar integração social, várias tribos preferencialmente, a paty, o nerd, o playsson, o skinhead, o rapper e tantos outros grupos detestáveis.
  3. No mangá use linguagem simples, algo que você e uma loira consigam entender, se conseguir ser didático seria ótimo, evite termos como megalomania, ególatra ou cunilíngue, entre outros termos que exijam maior capacidade cerebral do interlocutor.
  4. Ponha atividades interativas no mangá, aquelas que todos param para resolver: ligar pontos, pintar, labirinto, jogo dos sete erros, etc.
  5. Enredo deve ser simples, nada de flashbacks para dar profundidade emocional aos personagens, foque-se na historinha simples.
  6. Vilões sempre se arrependem, além deles não poderem ser muito feiosos.
  7. Sangue em nenhuma ocasião é permitido, isso traumatiza as crianças.
  8. Só ponha pessoas que voam se você tiver certeza de que não haverá alguma criança idiota capaz de achar que pode fazer o mesmo e pular da janela do 42° andar de um prédio.
  9. Mascotes sempre devem ser fofos, e lutar ao lado do protagonista, sendo preferencialmente amarelos.
  10. Nada de desenhos complicados, ponha o básico. Se quiser detalhar rostos e paisagens vá fazer shoujo ou seinen estilo Gantz.
  11. A faixa etária dos personagens deve ser a mesma do público-alvo, para fazê-los sentir que a aventura poderia estar sendo com eles.

Kodomo X Others - Diferenças exemplificadas[editar]

Emos adoram kodomos.
Digimon não é kodomo, é Ecchi shounen. Se você é fã disso, vaza dessa página!
  • Shoujo — Shoujos tendem a ter histórias pseudocomplexas, garotas com sentimentos à flor da pele e confusas. Há diálogos que não levam a nada, choros a todo momento, tudo girando em torno das figuras femininas que por si só já são confusas e quase sempre parecem sofrer de retardo mental, ainda mais na puberdade, crianças jamais assistiriam algo assim, elas não teriam saco e desligariam a TV para brincar ou destruir a casa.
  • Shounen — Na verdade shounen é a digievolução de um Kodomo, só que agora os personagens são mais complexos, eles passam a enfrentar monstros mais feios ou mais sexys (dependendo do estilo de personagem) e até é permitido agora um pouco de sangue e mortes sem purpurina. O shounen é o degrau posterior na escalada de um otaku, alguns animes de mascotes ate entraram pra lista (mas porque tem drama ou putaria).
  • Seinen — São totalmente opostos, seinens tentam ser densos (no entanto acabam ficando confusos mesmo) enquanto kodomos são mais simples que o funcionamento de um garfo, no seinen há sangue jorrando e gente muito, muito má, enquanto no kodomo isso jamais ocorre, dizem que pode traumatizar a gurizada, não que o Barney seja um ótimo exemplo.
  • Hentai — Dispensa comentários, se bem que na nossa atual sociedade, mostrar às crianças a verdade sobre a fabricação de seres humanos de forma artesanal em vez de contar histórias sem nexo sobre cegonhas, repolhos e poeira seja algo que contribua para sua formação psicológica, além de aumentar e muito a venda de camisinhas.

Ver também[editar]


Mirror2.jpg Conheça também a versão oposta de Kodomo no Mundo do Contra:

Espelhonomdc.jpg