The King of Fighters

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Virtualgame.jpg The King of Fighters é um jogo virtual (game).

Enquanto isso, o seu irmão joga Tetris.


O Rei das Fraturas
Tequingui logo.png
Logotipo da série
Gênero Porradaria
Desenvolvedor SNK
Publicador SNK
Plataforma de origem Arcade
Primeiro lançamento The King of Fighters '94 (1994)
Último lançamento The King of Fighters XV (2020)


Cquote1.png Fica longe do meu TICOLÉ! Cquote2.png
Pivetinho sobre K', Kyo e Iori
Cquote1.png Adoro ver esses peitinhos balançando...! Cquote2.png
Tarado sobre Mai Shiranui
Cquote1.png Jogo de puta e viado. Cquote2.png
Nando Moura sobre KOF
Cquote1.png NÃO VALE SÓ RASTEIRA E MAGIA! Cquote2.png
Noob reclamando de mais uma derrota
Cquote1.png Ussã ussã e shinee a partida toda! Desequilibrado! Cquote2.png
Noob reclamando de mais uma derrota
Cquote1.png Shinee!! Cquote2.png
Iori
Cquote1.png Orixá!! Cquote2.png
Iori
Cquote1.png Sabadão! Cquote2.png
Iori
Cquote1.png Salamãshine! Cquote2.png
Iori
Cquote1.png Sai cocô!! Cquote2.png
Athena Asamiya
Cquote1.png Sai gostoso! Cquote2.png
Athena Asamiya
Cquote1.png Ai de quem raspar! Cquote2.png
Joe
Cquote1.png E o Tim Maia? Cquote2.png
Yashiro
Cquote1.png Uriá! Uriá! Uriá! Esconder pum! Cquote2.png
Clark
Cquote1.png Mas que caralho! Cquote2.png
Blue Mary
Cquote1.png Toma Whey! Cquote2.png
Terry
Cquote1.png Pau a gaizá! Cquote2.png
Terry
Cquote1.png Toma Nova Schin Cquote2.png
King
Cquote1.png Me dá um Sprite Cquote2.png
King
Cquote1.png Tomei chifre, mas essa vagabunda me paga! É muita falta de respeito e sacanagem isso! Você chega em casa após um dia inteiro de treino e se depara com uma palhaçada dessas! Eu pelo menos consegui filmar essa piranha e agora tenho tudo num vídeo de 3 horas dessa vagaba escrota dando para 5 negões desconhecidos e agora vou postar para todo mundo ver essa pouca vergonha! Cquote2.png
Andy Bogard sobre o chifre que levou da Mai Shiranui

The King of Fighters, conhecido no Brasil apenas como Tequingofaite, é uma série de jogos de luta muito famosa por ter um bando de viados e putas como personagens recorrentes, além da fama de possuir os chefes mais desgraçadamente desgraçados de tão impossíveis de se matar, tipo o filho da puta do Rugal, o arrombado do Mukai, a bichinha do Evil Ash, a traveca desenfreada do Magaki, o desgraçado apelão do caralho do Igniz, o comedor de cus do Geese, o combeiro filho da puta do Zero, e tantos outros.

A SNK conseguiu manter o ritmo de lançar pelo menos um jogo "novo" de KOF por ano, e foi assim durante 10 anos seguidos, começando em 1994 até parar em 2003, tentando imitar os jogos de esportes que fazem isso direto. Como é humanamente impossível criar tanto jogo assim em tamanho curto espaço de tempo, a estratégia adotada pela SNK foi engenhosa. Ficou decidido que lançaria um jogo bom nos anos pares, e um jogo ruim nos anos ímpares. Dessa forma, se The King of Fighters '94 (ano par) foi um jogo incrível que revolucionou os fliperamas, o The King of Fighters '95 (ano ímpar) seria uma porcaria sem novidade alguma e um rascunho lançado nas coxas às pressas, porque a equipe estaria trabalhando de fato é no The King of Fighters '96 (ano par), que seria um jogo melhor, e assim sucessivamente. Claro que as falências consecutivas da SNK atrapalharam esse plano depois de 2003 e os jogos passaram a ser numerados a partir do The King of Fighters XI, porém a ideia continuou a mesma. Só que agora invertida: os jogos de numeração par seriam os ruins, e os de numeração ímpar seriam os bons, por isso temos situações em que The King of Fighters XIV consegue ser pior que The King of Fighters XIII.

Os KOF são jogos onde só quem consegue jogar são punheteiros desocupados que, por falta de mulher e de outras coisas pra fazer, podem dedicar suas vidas em se viciar nesses jogos. Como The King of Fighters criou esse nicho altamente competitivo, onde é realmente necessário ter muita habilidade com as mãos para quebrar os controles (ou melhor, fazer os golpes e combos), e os punheteiros por si só já possuem todo o treinamento diário com umas 300 punhetas por dia, então é assim que a coisa funciona. Por exemplo, os combos mais hardcore do Kyo Kusanagi no KOF 2002 saem com mais naturalidade que os gols da Alemanha no 7x1 contra o Brasil. E com a grande quantidade de putas e vadias presentes nesse jogo (com destaque para a Mai), isso fomenta constantemente a fabricação de novos hentais, trazendo mais material para os fapeadores kofeiros, criando assim um ciclo de punheta e treino que torna os jogadores cada vez mais dedicados e especializados: a porra fica cada vez mais séria tanto dentro quanto fora do jogo.

Desenvolvimento[editar]

Os grandes rivais da série, Kyo e Iori, se enfrentam num duelo de Curió e Chirê.

Em 1992 o Street Fighter de Rodoviária começava a dominar o mundo, e a Capcom nadava em dinheiro feito o Tio Patinhas, de tanta ficha que gastavam em seus fliperamas. A SNK, produtora de várias porcarias desconhecidas, decidiu parar de fazer múltiplos jogos de luta que ninguém conhecia e se focar numa só série, criando assim The King of Fighters, reunindo todas as suas franquias numa só. Foi dessa forma que vários personagens de jogos que ninguém conhecia, como Art of Fighting, Fatal Fury, Psycho Soldier, Ikari Warriors... agora sim, ficariam conhecidos.

Nisso havia um porém. Não era só aceitar qualquer coisa e pronto. No início, a principal característica desejada para a franquia era que ela só tivesse personagem feminina gostosa! Afinal de contas, eles sabiam que a Capcom só tinha a Cammy e a Chun-Li, então coube ao KOF trazer: Mai Shiranui, Blue Mary, Shermie, Angel, Vanessa, Leona Heidern, Yuri Sakazaki, Lien Neville, Athena Asamiya... enfim, só biscate, com duplo destaque para a Mai Shiranui que nitidamente só está ali para a punheta dos nerds. É importante ressaltar que todas as garotas do jogo usam roupas de maneira a deixarem a barriga e as pernas de fora, a fim de enfatizar ainda mais que não passam de objeto sexual para a punheta alheia. A segunda característica seria lotar de personagens masculinos altamente viados, ou no máximo assexuados, ou seja, botar ali uns 20 japonês/coreano com a cara tudo igual, sempre praticando algo oriental tipo karatê, kung fu, taekwondo ou judô, e uns 10 loiros pra variar um pouco, mas também com a cara igual. Claro que a Capcom não perdeu a oportunidade de ridicularizar isso criando o Dan Hibiki, um fracote com o cabelinho do Robert Gracinha, roupa do Ryo e personalidade do Ash.

Mas é inegável que a grande fama da série provém do alto número de máquinas espalhadas por tudo quanto é lugar nos anos 1990, a maioria em botecos, puteiros e buracos de esquina. A fama do jogo rapidamente ganhou grandes dimensões, começando pelos vários campeonatos no botecos ou nas casas dos viciados e escalando até os campeonatos mundiais, principalmente online.

Jogabilidade[editar]

Normalmente em The King of Fighters o sistema consiste em duelos de trios predeterminados.

O conceito de KOF clássico, no padrão definido telepaticamente pelos kofeiros, consiste num jogo de luta de trios predeterminados, onde cada luta tem duração de 1 minuto; se o tempo acabar, o que tiver mais life ganha. Se sair desse padrão, o jogo não é considerado um KOF genuíno: portanto, os jogos com quartetos, "strikers" ou aquelas porcarias em 3D não são considerados KOF de verdade pelos kofeiros da velha guarda. O contexto no enredo diz que foi Rugal quem comprou os direitos autorais do KOF e mudou drasticamente as regras do torneio (sim, porque ele quis), acabando com as lutas de 1 contra 1, pois isso ficou muito comum e todo mundo já estava de saco cheio desse formato, implementando então o formato de 3 contra 3, com cada trio representando seu país... ou não. Logo após a morte de Rugal (acredite nessa balela se quiser), o sistema 3x3 continuou até o The King of Fighters '99, que inovou ainda mais na apelação ao introduzir outro lutador de penetra no time, o "striker", cagando regra e transformando os combates num 4x4. O "striker" foi criado para acabar com qualquer tentativa de balanceamento no jogo, porque agora era possível chamar um amigo bem no meio da luta. Esse amigo era mais breve que propaganda da Jequiti, mas o problema é que ele também podia bater, possibilitando assim vários combos infinitos.

A série também introduziu um bagulho muito foda que faz toda a diferença... os especiais. Cada lutador possui uma barra de especial que, quanto mais ele bate ou apanha do oponente, mais a barra enche. Ela fica enchendo até o lutador gastar um especial, se souber usar. Normalmente começa podendo encher até 3 especiais na 1° luta e 5 especiais no último personagem restante do trio.

Para saber jogar KOF decentemente, primeiro o jogador precisa estudar todo um vocabulário próprio. Por exemplo: entender coisas como "róri", que significa "socão anti-aéreo"; "estourar barra", que significa "dar um golpe que estende a capacidade de combos"; além de entender a diferença entre "cancelar" e "desesperar". Depois de compreender todos os termos, o jogador pode então começar a passar raiva, porque para encaixar os tais combos, ele precisará ser milimetricamente preciso. Isso mesmo: todos os seus movimentos devem ser friamente calculados.

Um dos golpes mais utilizados no jogo é o famigerado meia lua para frente, meia lua pra trás + soco (comumente chamado de "bola pra frente, bola pra trás + soco"), que faz o personagem escolhido lançar um especial genérico no oponente. Outro golpe muito utilizado é a voadora mortal, bastante utilizada por jogadores apelões. Ainda há o golpe da banda utilizada em demasia, quando o jogador não sabe fazer nenhum outro golpe. Existe também o balão apelão, que consiste em esquivar e aplicar um golpe no oponente.

Todos os golpes supracitados podem ser usados em duas técnicas mais mortíferas ainda: o combo infinito (que consiste em acertar o oponente indefinidamente, fazendo "petequinha" a partir de um ataque malandro) e o combo de 100% (que tira toda a energia do oponente, sem chance de revidar). Cada personagem do jogo possui no mínimo 30 combos de cada tipo. Normalmente, vence quem aplicar um combo 100% ou infinito primeiro.

Jogos[editar]

Série principal[editar]

Desde o primeiro jogo da série, sempre houve foco no plot e na personalidade dos personagens.
SAGA OROCHI
  • The King of Fighters '94 - O primeiro jogo da série foi uma criação totalmente despretensiosa da SNK; ela desejava meramente criar um Street of Fighter II só que para viados, objetivo que alcançaria com louvor ao reunir os personagens de várias franquias desconhecidas pertencentes à SNK. Ainda com um enredo extremamente simplório, tipo como são os enredos de KOF até hoje, neste jogo o magnata Rugal manda cartinhas para vários viados e putas ao redor de todo o mundo para participarem de um torneio. E é só isso aí.
  • The King of Fighters '95 - Um remake do jogo anterior. O Rugal manda as tais cartinhas de novo, chamando os mesmos lutadores, e perde de novo no final, mesmo que dessa vez pareça que tenha mudado alguma coisa ao ficar sem camisa. Apesar de ser um jogo bem ruim, ele acaba sendo adorado pelos fãs, porque é a estreia do Iori.
  • The King of Fighters '96 - Graças ao trabalho de Rugal, o torneio de KOF tornou-se mundialmente conhecido e seus direitos de transmissão foram adquiridos por uma macumbeira chamada Chizuru Kagura. Dessa vez é Chizuru quem envia as cartinhas de convite para o torneio. A trama se torna ainda mais densa quando descobre-se que Chizuru está tentando impedir Goenitz de ressuscitar Orochi, o Deus das Bibas, que caso ressuscite irá transformar todos os homens do mundo em viados. Para impedir uma tragédia dessas, será necessário derrotar o tal Goenitz, e isso explica porque várias mulheres heterossexuais (Kasumi Todoh, Leona, Mature e Vice) entraram no torneio pela primeira vez
  • The King of Fighters '97 - A conclusão da Saga Orochi é dramática. É revelado que dois personagens da saga, o Iori e a Leona, são dependentes químicos e na verdade estão sofrendo de uma gravíssima crise de abstinência. Além disso, o trio formado por Yashiro, Shermie e Chris está possuído pelo capeta, e é por isso que eles trabalham para trazer Orochi de volta. O grande vilão aparece, pelado e viadão, inclusive com uma enorme tatuagem azul de piroca bem no peitoral. Mas graças ao Kyo, ele é derrotado e selado.
The King of Fighters '98 é um jogo muito equilibrado e justo, até o Goro Daimon estourar a barra.
  • The King of Fighters '98 - É o melhor jogo da saga Orochi porque não tem história, então é só porrada, basicamente o que as pessoas querem. Qualquer um é livre para julgar o caráter de alguém que escolha o trio formado por Iori só soltando ussã, Chris Orochi só pulando com C+D e Goro só estourando a barra.
SAGA NESTS
  • The King of Fighters '99 - Todo o protagonismo de Iori e Kyo é lançado no ralo, sem mais nem menos, para trazer um protagonista menos viado para a série. Trata-se do infame K', que está puto da vida com uma megacorporação chamada Nestlé, a qual fazia experimentos de clonagem do Kyo nos outros. Os malditos fizeram pelo menos uns 10 clones (Kyo-1, Kyo-2, Kusanagi, Shingo, K', Moe Habana, enfim) e agora cabe ao K' desfazer essa maluquice, o que significa bater em outro clone do Kyo, o Krizalid. É um jogo altamente odiado pelos fãs, porque foi ali que inventaram a porra dos "strikers" que acabaram com a graça da série.
  • The King of Fighters 2000 - Primeiro jogo de KOF com romance heterossexual, porque nesse título o K' termina pegando a Kula Diamond no processo de tentar combater a Nestlé. A grande revelação fica por conta do chefe final, que é ninguém menos que o clone do Freddie Mercury. O jogo marca a despedida da SNK, falida após tanto jogo ruim, que durante o romance passa a se chamar SNK Playamore.
  • The King of Fighters 2001 - Desfecho da saga onde o presidente e CEO da Nestlé, Igniz, termina derrotado no grande final, momento em que suas motivações sobre o motivo dele ser tão obcecado em clonar o Kyo são reveladas. Óbvio que ele queria é um gang bang supremo com muito churrasco no fim.
  • The King of Fighters 2002 - A exemplo do KOF 98, o KOF 2002 é o melhor jogo da sua respectiva saga, porque caga e anda para a história, focando-se na jogabilidade altamente desequilibrada e nas dezenas de possibilidades de se criar combos infinitos. Este jogo é o queridinho dos kofeiros, porque tem tudo o que eles amam: desequilíbrio entre os personagens, e várias possibilidades de combos infinitos e apelação.
SAGA ASH
  • The King of Fighters 2003 - A série KOF retorna às suas origens, trazendo novamente o foco aos personagens altamente viados. A estrela da vez é uma bichona chamada Ash, um viado de bumbum guloso que sonha em ser enrabado por um negão bombado maravilhoso e delicioso chamado Mukai. Mas para concluir seus objetivos ele precisa roubar a maquiagem da Chizuru, a organizadora do torneio de KOF, por isso mais uma vez temos outro torneio.
  • The King of Fighters XI - Com a SNK falida, não foi possível trazer o KOF 2004 e o jogo ficou atrasado, precisando sair como KOF XI. Nos aprofundamos ainda mais na história do Ash, sobre como ele era enrabado por um strap-on da amiga Elisabeth Blanctorche e como isso o fez ter vontade de dar pro Iori também, que é a bicha mais ativa da série. Ash consegue ser enrabado com sucesso por Iori no final, e ameaça que seu alvo agora será o Kyo.
  • The King of Fighters XII - Jogo criado às pressas, porque a continuação da saga de Ash não saía nunca. Não tem história, mas foi um jogo ruim criado apenas para encher linguiça.
  • The King of Fighters XIII - A grande conclusão da saga. Outro dos jogos mais queridos de todo kofeiro que se preze, porque é nesse jogo que Ash morre após ser enrabado por um negão, livrando a todos dessa presença de baitolinha.
SAGA SEI LÁ O QUE
  • The King of Fighters XIV - Assim como em outros KOF, um bilionário russo cria mais um torneio, manda as cartinhas e é isso aí. Por enquanto a SNK está sem ideias de uma nova saga.

Spin-offs[editar]

Campeões do torneio KOF[editar]

Godinez assistindo a uma luta em The King of Fighters, torneio de repercussão mundial.
Edição Time
1994 Japan Team: Kyo Kusanagi, Benimaru Nikaido, Goro Daimon
1995 Japan Team: Kyo Kusanagi, Benimaru Nikaido, Goro Daimon (*)
1996 Japan Team: Kyo Kusanagi, Benimaru Nikaido, Goro Daimon
1997 Japan Team: Kyo Kusanagi, Benimaru Nikaido, Goro Daimon (**)
1998 Não teve
1999 Hero Team: K', Maxima, Benimaru e Shingo
2000 Hero Team: K', Maxima, Vanessa e Ramon
2001 Hero Team: K', Maxima, Whip, Lin
2002 Não teve
2003 Ikari Warriors: Leona, Ralf e Clark
XI Rivals Team: Kyo Kusanagi, Iori Yagami e Shingo Yabuki
XII Não teve
XIII Japan Team: Kyo Kusanagi, Goro Daimon, Benimaru Nikaido (***)

(*) Reivindicado pelo Psycho Soldiers
(**) ÉÉÉ TETRAAA!!!
(***) ÉÉÉ PENTAAA!!!

Estatísticas[editar]

  • Kyo Kusanagi, considerado o grande churrasqueiro e protagonista das primeiras sagas de KOF, é o maior campeão do torneio com 6 títulos. Cinco com o time do Japão e mais um com seu rival Iori Yagami e seu discípulo cabeça de pau Shingo Yabuki. Destaque para suas vitórias sobre Rugal, Goenitz e Orochi.
  • Benimaru, o baitolão, está empatado com Kyo. Tem 5 conquistas, lutando com o time japonês e mais uma com K', Maxima e Shingo.
  • Goro Daimon, o mestre judoca das havaianas de pau, ganhou cinco vezes com seus miguxos do time do Japão, tacando a chinelada sem dó na cara dos viados.
  • K' e Maxima foram os heróis da saga NESTS: espancaram geral, comeram muita mina gostosa e faturaram 3 troféus seguidos.
  • Shingo Yabuki teve a sorte de formar time com personagens fodas e ganhou duas vezes o KOF.
  • Leona, Ralf e Clark, Vanessa, Ramon, Lin, Whip e Iori ganharam apenas uma vez.
  • Os Psycho Soldiers afirmam ter ganhado o KOF '95 após terem feito um gol no último minuto do jogo, depois de Athena ter feito uma linda jogada individual ao lançar para Cristiano Ronaldo, tabelar com Messi e deixar Chin Gentsai livre na área, que tocou para Sie Kensou finalizar para o gol, mas os árbitros de video não validaram o gol, porque Sie Kensou estava impedido e a bola não passou completamente da linha do gol.

Vale lembrar que outros personagens já ganharam o KOF em anos anteriores antes disso virar um torneio mundial. São eles: Geese Howard, Billy Kane, Ryo Sakazaki, Terry Bogard e a puta que pariu.

Personagens[editar]

Vindos de Fatal Fury, por ano de estreia[editar]

KOF 94
  • Terry Bogard - O cara do boné que ouve AC/DC e aparece em qualquer jogo da SNK. Embora seja o protagonista de Fatal Fury, em KOF é sempre um coadjuvante. Apesar de não ser exatamente viado como os outros 90% do elenco masculino do jogo, ele é assexuado e não pensa em mulher, só quer saber de lutar. É verdade que após tantos anos perdendo ele se revoltou e vestiu uma jaqueta de mendigo, emprestando o seu famoso boné para o Mario em Super Mario Odyssey, ganhando assim o direito de estrelar em um Smash Bros. O seu golpe mais famoso é o "pau-á-gayzá".
  • Andy Bogard - Um grande viado assumido que está constantemente apenas na sombra do irmão Terry, que é mais forte que ele, mais extrovertido que ele, mais famoso que ele e mais macho que ele. Tenta se destacar ao começar um namoro com a Mai Shiranui, mas a única coisa que ele consegue com isso são chifres, já que ele possui disfunção erétil e por isso não tem a capacidade de comer aquela gostosa nem uma vez sequer. Como é viado, muitos de seus golpes são copiados da Cammy. O seu golpe mais famoso é o chute-parafuso.
  • Joe Higashi - Um pseudo-lutador de Muay Thai que usa um shortinho estilo mamãe-sou-forte sem cueca por baixo, conforme ele fez questão de exibir em sua clássica pose de vitória. Seus golpes consistem em soltar furacões pela axila, os mais famosos são o "ora ora ora rachou!" e o "ai de quem raspá".
Puteiro barato onde a Mai trabalha.
  • Mai Shiranui - Uma vagaba total, claramente uma puta que se recusa a usar sutiã e está sempre se insinuando para os outros lutadores, tanto que casou com o mais virjão e arrombado de todos (o Andy) apenas para chifrar o pobre coitado sem parar, e ainda arrancar sua pensão alimentícia no final. Ela é a deusa do hentai e não existe nenhum gamer que não tenha se masturbado para ela pelo menos uma vez na vida. A vadia nunca está em trajes decentes: sempre aparece vestida de prostituta, lutando praticamente seminua, nunca escondendo que usa uma calcinha fio-dental branca e completamente enterrada no cu. Os seus peitões são naturais e ela faz questão de exibir isso ao lutar praticamente de quatro, de tão corcunda que ela fica, movendo o tórax para deixar os peitões balançando livres e mostrar que aquilo não é silicone. Com uns peitos daqueles, dá para amamentar uma família inteira de órfãos. No seu golpe mais famoso, o "ketchup", ela arremessa infinitos leques no adversário. Onde ela guarda tantos leques? Só pode ser no cu, arrombada ela é.
  • Kim Kaphwan - Mestre do taekwondo, precisa botar uma roupa branca para não ser confundido com o Kyo, pois em KOF todo mundo é meio igual. É aquele tipo de cara inocente e idealista que acredita que as artes marciais podem corrigir ex-criminosos, por isso está sempre atrás dos bandidos Chang e Choi, tentando recuperá-los na base do taekwondo. O seu principal golpe é o "ai meu saco", em que ele dá uma girada e esmaga os próprios testículos no chão.
KOF 95
  • Billy Kane - Cosplayer do Axl Rose metido a punk e malfeitor que alterna altos e baixos na franquia, afinal ele luta usando um bambu vermelho. Ele é o único personagem realmente armado da série, o que muitas vezes o deixa incrivelmente apelão por causa do alcance muito apelativo, especialmente quando ele traz o bambu com correntes. Mas de vez em quando a SNK nerfa ele, deixando seus golpes com um alcance mais curto que os da Vanessa. O seu golpe mais famoso é o temido "queima-rosca", no qual ele primeiro pergunta a diferença entre um poste, uma grávida e um bambu, para depois enfiar o bambu no cu do adversário e rodar com tanta velocidade que faz sair faíscas.
Gesse comandando um show: "Sou praieiro, sou guerreiro, sou apelãozeiro, e agora todo mundo comigo... XILINDRÓ!!!".
KOF 96
  • GEEEEEEEEEEEESE!!! - O todo-poderoso malvadão dos jogos da SNK, é o grande mestre do crime organizado de Southtown; tira uma de fodão e como todo bom chefão, vive acabando com a tua raça, não importa o quão viciado você seja! Ele é protegido inclusive pelo bastão do Billy Kane (O QUÊÊÊ???), mandou o pai de Terry e Andy pra terra dos pés juntos, cobiça poderes obscuros e já morreu e ressuscitou mais vezes que o Goku de Dragon Ball Z. Ele sempre será uma praga destrutiva sobre o mundo! É sempre assim: se Geese for chefão ele te mata com 5 hits (apenas 2 se ele estiver sem camisa), mas se Geese for um personagem selecionável, vai apanhar de todo mundo. É dono de inúmeros golpes marcantes, como o "x-burguer" que solta uma ventania no ar, o "épurque" que cria um vento que corta qualquer golpe, e o mais temido de todos, o xilindró, também conhecido como Gaiolinha do Geese, golpe que é um estuprador de HP.
  • Wolfgang Krauser - Meio-irmão de GEEEEEEEEEEEESE por parte de pai. Apesar de seu tamanho de arranha-céu e força descomunal, ele faz um estilo "grandão gentil", pois tem todas as maneiras refinadas de um cavalheiro, gosta de tomar um bom vinho, aprecia música clássica e toca órgão. Mas quando luta, é complicado de se enfrentar: pode soltar um "radúgui" de fogo tanto por cima quanto por baixo, e até solta o mesmo "golpe bebum" Kaiser Wave do Rugal Bernstein. Assim como a esmagadora maioria dos outros personagens da série, também morre de ódio por GEEEEEEEEEEEESE, apesar do parentesco.
KOF 97
  • Blue Mary - Loirinha da blusinha vermelha, é outra puta, mais uma personagem feminina de KOF que odeia sutiãs. Estreou em 97 como a rainha dos "róri", o que a tornava altamente apelativa. Até o Geese, se pulasse, era cortado pelo "róri" dela (mas no caso era só ele soltar um "vem no trem" e depois a Gaiolinha para dar um K.O. na Mary sem precisar ficar pulando. Aos poucos ela foi piorando e se tornando uma personagem focada em agarrões e pegada (ui). Por isso o seu golpe especial é o "róris" de pegada com "vai se catar".
  • Ryuji Yamazaki - Um perigoso assassino psicótico que mataria a própria mãe por uns trocados pra cheirar gatos na esquina. Ele é extremamente rápido, tanto é que ele consegue tirar o cinto, executar um Snake Arm e colocá-lo de volta sem que a sua calça caia.
KOF 99
  • Li Xiangfei - Um raro exemplar de personagem feminina feia em The King of Fighters, é uma chinesa com calvície e várias entradas na testa; por causa desse problema, acaba ficando deprimida e adquirindo bulimia nervosa. Já fez covers da Britney Spears e da Chiquinha.
KOF 2003
  • Gato Futaba - Apesar do nome, não tem nada a ver com gatos, na verdade é só um personagem bem aleatório, cujos golpes são tão curtos que é necessário estar colado no adversário.
  • Tizoc - Um lutador de luta livre com cara de galinha vermelha que participa de torneios "marmelada" onde o prêmio é de 1 milhão (um milho gigante).
KOF XI
  • Duck King - Ninguém sabe porque do nada a SNK decidiu colocar esse punk no KOF XI, uma presença que ninguém pediu. Ele não passa de um coadjuvante de Streets of Rage readaptado para Fatal Fury e vários anos depois aproveitado em um KOF.
  • B. Jenet - Mais uma puta, é ela quem vende pornô em DVDs piratas e usa um vestidinho feito no Paraguai; quer ser cover da Avril Lavigne e da Britney Spears ao mesmo tempo. Luta de tamancos roxos, os quais tira constantemente para meter sapatadas no inimigo quando sobe a maldita TPM.
  • Tung Fu Rue - Idoso que está ali apenas pelas cotas, pois todo jogo de luta precisa ter pelo menos 5% do cast formado por idosos e o Chin sozinho já não era o bastante pra essa quantidade, então trouxeram essa cópia do Mestre Kame.
KOF Maximum Impact
  • Rock Howard - Filho bastardo do GEEEEEEEEEESE mas adotado por Terry Bogard, porque até mesmo em ser pai solteiro o Andy deseja ser melhor que o Terry. Solta Reppuken e Rising Taco, mas está longe da macheza do pai e acaba sendo apenas mais um viado da franquia que fica mostrando a barriguinha sexy por aí.
KOF Maximum Impact 2
  • Richard Meyer - Um capoeirista brasileiro que ninguém sabe nem de onde surgiu.

Vindos de Art of Fighting, por ano de estreia[editar]

KOF 94
  • Ryo Sakazaki - Anda que nem um mendigo pelas ruas; não tem apenas o nome parecido com o Ryu, mas também a atitude de lutador que só pensa em lutar e nada mais, sendo ele mais um virgem que nem sabe que a King é uma trans. Segue o estilo do pai e tem como golpe principal o Ao Soboguen, tendo como técnica própria o "ora ora ora ora chutá".
  • Robert Garcia - Um metido a ator/galã de novela das 8 (ou 9) que está ali para tentar comer a Ryu-Puta, mas não consegue porque a guria é demente demais. Apesar de estar numa friendzone fodida, toda vez que ele vê a friendzone do Kensou ele se sente menos desmotivado. Toda vez que a Capcom afrouxa na vigilância, ele passa a copiar o Guile na cara dura, com gilete e tudo.
Yuri executa o seu clássico ataque de dar a bunda pro adversário.
  • Yuri Sakazaki - Mais uma vadia, essa aqui plagia o Ryu na maior cara-de-pau. Apesar de ser só uma guria, ela se acha a gostosa, e dependendo do ânimo do desenhista, ela pode aparecer completamente rabuda. Gosta de dar tapas nos outros, usar uma roupa de ginástica encardida que não troca há anos, e calçar um sapato All Star vermelho vagabundo e fedendo a chulé. É dona do Ao Soboguen mais chato de todos, porém sua marca registrada é aquele ataque de dar o cu pro oponente.
  • Takuma Sakazaki - Pai de Ryo e Yuri, é um tiozão com a cara do Datena que tira uma de fodão com uma baita cicatriz de urso nas costas e solta 200 tipos de Ao Soboguen diferentes. De vez em quando ele usa uma máscara vermelha ridícula e nariguda, alegando ser um outro cara chamado "Mr. Karate", mas na verdade TODO MUNDO SABE que o Mr. Karate é o próprio Takuma, não importa o quanto este alegue o contrário.
  • King - Um rapaz transexual que, apesar da sua identidade de gênero incompatível com o seu sexo biológico, criou coragem para cortar o pinto e colocar silicone só depois do KOF 2000. Nos combates é uma das mais temidas porque inferniza os adversários com um monte de "róri" que corta tudo, incluindo o infame "Toma Nova Schin". Tudo isso enquanto enche o cenário com seu hadouken, que ela chama de "Me dá um Sprite".
KOF 95
  • Eiji Kisaragi - Parente do Naruto que se acha totalmente fodão só porque treinou com o Crash Bandicoot em Crash of the Titans. Como não é viado ou metrossexual, apenas um ninja antissocial, ele acaba não aparecendo em muitos jogos da franquia apesar de ser um personagem querido.
KOF 96
  • Kasumi Todoh - Uma japonesinha de kimono e visual bem genérico que seria facilmente esquecível, não fosse pelo fato dela ser a RAINHA DOS COUNTERS. Um viciado usando a Kasumi irrita qualquer um com tanto counter (enquanto um noob perde de perfect ao errar todos os counters). Como ela apela nas mãos de viciados, é incluída apenas nas versões de KOF sem compromisso com o equilíbrio entre os personagens.
  • Mister Benga - Fugitivo da terra dos cangurus, luta com dois paus nas mãos como forma de querer impor para a sociedade que é um macho cheio de macheza. Como ele está se esforçando para ocultar sua viadice, precisa ficar se provando para os outros, por isso tem duas prostitutas particulares que estão sempre agarradas nele. Luta de óculos escuros, que não quebram nem quando ele toma o Gaiolinha do Geese, e está sempre de terno italiano Armani, com um casaco de pelos de elefante branco e sapatos de couro de algum jacaré bicolor estilo mafioso (e ele é o quê, por acaso?). Big sempre tenta tomar o lugar de GEEEEEEEEESE como senhor do crime organizado de Southtown (sabe-se lá onde isso fica), sem sucesso.

Vindo de Ikari Warriors[editar]

O time dos Ikari Warriors, militares que vieram para dar mais seriedade ao jogo.
KOF 94
  • Ralf e Clark - Comeram a Paris Hilton e, quando ela se cansou e não quis dar mais a xota, prenderam-na. São dois soldados bombados que vão apelar dependendo da versão do jogo. Mas uma coisa é certa: se tiver striker, eles têm que estar no time.

Vindo de Metal Slug[editar]

KOF Maximum Impact 2
  • Fio - Apareceu como personagem jogável apenas no KOF: Maximum Impact 2, porque era um jogo de completa galhofa e descompromisso. É uma cover de Rita Cadillac bastante desengonçada, mas também bem desavergonhada, que quer foder até com o boneco do posto! Em The King of Fighters 2000 ela aparece como uma das piores strikers do jogo, porque não possibilita a construção de nenhum infinitão.

Vindo de Psycho Soldier[editar]

Kensou dando apenas aquele abracinho de lado em Athena, de quem está há 30 anos numa friendzone.
KOF 94
  • Athena Asamiya - Mais uma putinha, mas aqui com o adicional de ser guria retardada, sendo uma colegial japonesa que solta poderes pelas mãos como se fosse um pokémon. Ela é uma drogada que consome ecstasy para poder soltar seus poderes imaginários psíquicos. Ela também abusa sexualmente de Bao e Momoko, fazendo-os aprender a usar drogas para conseguir soltar os golpes psíquicos. Indecisa sobre sua aparência, em cada ano ela aparece com uma roupa e um corte de cabelo diferente, exceto em 1995 que apareceu com a mesma roupa de 1994. É a responsável pela friendzone mais duradoura da história dos videogames, deixando Kensou 30 anos na sua friendzone. Como ela não gosta de garotinhos, em todo hentai que aparece tá sempre com negões e velhos obesos. A partir de The King of Fighters XIII mudou não apenas o vestuário, como também aumentou as coxas, se tornando uma cavala que só perde pra Chun-Li. Com a sequência rasteira-magia-rasteira-magia-rasteira-especial, sempre foi a personagem mais chata de se enfrentar (depois do Choi), especialmente quando começa a spamear pelo cenário os seus famosos golpes "Sai Cocô!" e "Fuder É Bom".
  • Sie Kensou- Um fedelho azarão e pateta que é fanático em comer pão de queijo; sempre que é avistado está comendo um desses. Faz parte do mesmo grupo dos rejeitados onde Ramon e Robert estão, e vive querendo comer a Athena, mas em 30 anos jamais saiu da friendzone.

Apresentados do KOF '94 ao KOF '97[editar]

Iori Yagami, o rei do Sabadão.
  • Kyo Kusanagi - Um playboyzinho de merda que arranja brigas por qualquer motivo. Como consegue fazer fogo com as mãos (que original!), ele trabalha como churrasqueiro. Apesar da sua aparência de dançarino de j-pop genérico, ele é o protagonista da série (até o K' aparecer e roubar isso dele, e depois o Ash roubar isso dele, e mais recentemente um tal de Shun'ei tentar ser o protagonista). O seu golpe mais marcante é o "Curió!", quando incendeia o inimigo, mas também usa bastante o "ussã", o "sabadão", o "boiçá" e o "oregá kawaii".
  • Benimaru Nikaido - Só mais um grande homossexual assumido, nasceu quando dois homens estavam fazendo meinha. Ele é tão vadia que muitas vezes entra na lista de putas junto com a Mai e Mary. Possui o poder da eletricidade, provavelmente causado pelo uso exagerado do vibrador em sua vida, destacando-se por seu golpe "Sai Pulguento" que cria uma bola de choque no adversário.
  • Goro Daimon- O grande comedor de bichas do jogo, provavelmente comeu até a vadia do Benimaru, afinal se a série KOF tem tanto viado, tem que ter também o comedor desses viados todos. Apesar de ser lento pra caralho, tem uns tapões que arrancam altos bifes de HP. Quando algum viciado pega as manhas das catadas dele, vira um oponente infernal.
  • Chang Koehan - Um clone de Zangief, porém com uma tonelada de banha a mais, e doido pra comer a May Lee. Ele utiliza o corpo do Benito como arma, e como ocupa metade da tela com seus vastos pixels, acaba é se tornando um alvo fácil de todas as porradas possíveis. Poucos sabem, mas ele possui um romance secreto com a Leona.
  • Choi Bounge - Responsável por fazer a macumba que deixou a Britney Spears careca, ele é um anão cover do Freddy Krueger misturado com pica-pau. Um dos personagens mais chatos de se enfrentar: metade dos golpes simplesmente não triscam nele, e quando começa a pular feito uma pulga de uma gazela no cio, só uma Blue Mary consegue parar esse maluco.
  • Chin Gentsai - Um bêbado velho, mas em KOF até o bêbado velho vem com cabelinho de fresco. Eventualmente ele morre de cirrose, mas graças a Athena ele é ressuscitado. Metade de seus golpes são altamente inúteis, pois nesses comandos ele apenas bebe mais cachaça.
  • Rugal Bernstein - O primeiro chefão da série, é um viciado em organizar torneios de luta; se não tivessem matado ele, Rugal estaria organizando torneios até hoje. De vez em quando é ressuscitado e aparece sem camisa. É o terror dos noobs, surrupiando todas as suas fichas como um chefão final quase impossível de bater, spamando a porra do "Jossei-tátá" que corta todos os ataques existentes e finalizando com o famigerado "Prensa-na-Parede" que cata metade do seu HP.
  • Heidern - Líder dos Ikari, tão líder que não apareceu em nenhum jogo do Ikari, ele também sabe absorver Goza Vermelha.
Lucky Glauber, um dos tantos personagens merda que acaba surgindo inevitavelmente no meio de 100 personagens existentes.
  • Lucky Glauber - Um jogador de basquete... Nossa, que merda.
  • Heavy D! - O mais tosco no time dos toscos.
  • Brian Battler - Nem interessa saber quem é. Não faz falta alguma.
  • Iori Yagami - Um dos preferidos da molecada, é talvez o único emo do mundo que é respeitado, sempre andando por aí pagando de fodão apesar da sua franja ridícula, falando grosso e brincando com Kyo Kusanagi. Apesar de ser claramente gay, o que se observa em sua obsessão pelo Kyo, ele tenta disfarçar essa viadice ao se rodear de putas pagas (Vice e Mature). Algumas vezes ele aparece em sua forma drogada, quando fica corcunda e babão. No combate o que ele mais faz é ficar enchendo o cenário de purpurina roxa, com destaque para os seus icônicos ataque "Chirê" (que faz uma purpurina roxa), o "Omoridá" (que faz uma purpurina roxa) e o clássico "bota no chão e enfia socão sem parar".
  • Saisyu Kusanagi - Pai do Kyo, não faz porra nenhuma na série, só foi sequestrado uma vez e sofreu lavagem cerebral pra lutar contra o filho, aí às vezes fica com aparência de personagem especial.
  • Mature - Prostituta loira que no começo é uma biscate particular do Rugal, mas que após a morte do mesmo passa a ser a piriguete particular do Iori. Já deu pra perceber que o negócio dessa mulher é submissão.
  • Vice- Fica se arrastando no chão e nas lutas é igual a sua irmã.
  • Shingo Yabuki - Moleque aborrecente que bate punheta no banheiro olhando pra Sabrina Sato. Não passa de mais um clone do Kyo dentre os vários existentes ao longo da série. Criatividade nunca será o forte da SNK.
  • Yashiro Nanakase - Difere-se da maioria do elenco por não ser emo, nem viado (muito embora a SNK vá lá e faça a versão feminina dele para o The King of Fighters All Stars). Nas horas vagas come a Shermie ele espanca travecos, bem diferente de um certo gordo aí.
  • Shermie - Uma gostosa frustrada em ser rodeada apenas por rivais viados que não a comem de jeito nenhum. Metade de seus golpes consistem em esfregar a buceta ou os peitos nos oponentes, mas nada de alguém comer ela.
  • Chris - Um moleque qualquer que pode facilmente ser confundido com o Kyo ou Kensou (lembre-se que criatividade não é forte da SNK). Está sempre junto da Shermie mas não tem coragem de chegar nela, por isso muitas vezes fica loucão nas drogas, onde gosta de afogar as mágoas.
Marca registrada da Leona, o "V de Viado" é o que ela usa para marcar as várias bichonas que existem na série.
  • Leona Heidern - Mulher militar que começou como uma soldado séria no KOF 96, ou seja, vestida em traje militar, mas que aos poucos foi perdendo roupa, passando a usar mais shortinhos curtos, até chegar em KOF XIV vestindo somente um biquíni azul ao ponto de rivalizar com a Mai Shiranui no quesito obscenidade. Tal qual Iori, ela também tem problemas com drogas e às vezes fica bem louca na TPM. É nesses momentos em que, ao invés de descer, o sangue sobe e ela fica ruiva. É uma personagem cheia de golpes gilete e sua técnica característica é o corte em V.
  • Chizuru Kagura - Uma macumbeira que também é dançarina. Depois da morte do Rugal ela ficou encarregada de organizar os torneios de KOF. Todos ficam surpresos quando descobrem que ela tem uma irmã gêmea do mal que deseja transformar todos os homens do mundo em viados, e Chizuru deseja impedir isso.
  • Goenitz - Emo idoso que matou a irmã gêmea da Chizuru achando que era a Chizuru. Mature e Vice chifraram ele com o Rugal e depois com o Iori. É mais um chefão chato pra caralho de vencer.
  • Orochi - Um dos chefões mais fudidos do jogo, é na verdade o Chris depois de tomar muito anabolizante. Apelão pra caramba, mas mesmo assim tomou um hadouken do Kyo, Iori e Chizuru e morreu.

Apresentados do KOF '99 ao KOF 2001[editar]

Maxima precisando segurar vela pro "kasal", K' e Kula.
  • K' - Um clone do playboyzinho de merda, só que com um roupão de bad boy e pose de "quero ser foda". Gosta de pagar de homem solitário, frio, sem sentimentos e mala, mas não sai do lado do amigo Maxima e quer almoçar a Kula.
  • Maxima - Irmão do Homem de Ferro, se acha humano mas é uma lata que só sabe ficar na cola do K'. É um cara visivelmente muito carente e que não sabe fazer amigos. Ele é excelente como candelabro, porque quando o K' começa a namorar a Kula, ele se torna um segurador de vela profissional.
  • Whip - Clone do K' (ou da irmã do K', nunca ficou claro) que luta usando um enorme dildo azul, o qual usa como se fosse um chicote para sodomizar os adversários. Gosta de enfiar o vibrador na Leona e deixa o K' lhe enfiar o chicote na xoxota.
  • Bao - Um moleque chato pra caralho que ainda não chegou na puberdade, por isso foi adotado pela Athena Asamiya, que estava cansada de tanto homem só querendo comê-la e precisava de uma criança em sua equipe. Moleque mais chato que Megaman em Marvel vs. Capcom, só sabe dizer "SAI COCÔ" e soltar magia no cenário.
  • Hinako - É uma lutadora de sumô que tem 1,50m de altura e 40 quilos, porém é a coisa mais difícil de se jogar, porque apesar de magrela é mais lenta que o Chang. Ela se sente psicologicamente como algo feito o E. Honda, inclusive tem seu próprio cuscuz, que aparece comendo na sua tela de comemoração de vitória.
  • Jhun Hoon - Antigo amante de Kim Kaphwan, entrou no torneio pra ficar mais perto do seu namorado e mostrar que é melhor. Apesar de toda sua marra, é fã da Athena, da Britney Spears, das Spice Girls e da Sandy, embora tente esconder que é só mais um vergonhoso otaku fedido.
  • Krizalid - Clone do K', o que faz dele um subclone do Kyo. E ainda acham que ele tem moral pra ser chefe... E o pior é que ele tem, pois fica sendo o chefe do KOF 99.
  • Emo-1 e Emo-2 - Como se The King of Fighters já não tivesse clone suficiente do Kyo, resolveram inventar mais esses dois aí.
  • Vanessa - Uma ruiva boxeadora que compensa o fato de ter o menor alcance (seus jabs só pegam se ela estiver coladinha no adversário) sendo um inferno de combos, especialmente quando começa a espancar o oponente com seus "bódi bódi bódi baixa!". Se a Vanessa começar a rir da sua cara com seus "Iuhú!", você já sabe que está enfrentando um viciado FDP que vai dar dash e esquivar de tudo.
  • Ramon - Ator de novelas mexicanas que sonha em comer a xota da Vanessa um dia, e por isso não desgruda da moça... Enfim, é só mais um personagem de KOF que tem sua heterossexualidade punida com friendzone.
  • Seth - Fulano que saiu da repartição pública direto para a porradaria, é tipo um cover do Alexandre Frota e que também tem sua tara pela xota virgem da Vanessa. Seus golpes soltam poeirinha do sovaco, mas ele só brilha mesmo quando atua de striker, dando uns pancadões e permitindo muitos combos infinitos.
  • Lin - Já que a SNK estava plagiando todo mundo mesmo, não faria mal plagiar de leve os ninjas do Mortal Kombat, trazendo esse Reptile para a franquia. Mas não deu muito certo, porque ninguém gosta dele.
  • Kula Diamond - Guria retardada que possui a capacidade de respirar no espaço sideral, foi criada com os poderes da Elsa de Frozen para tentar parar o K', mas acaba é se apaixonando por ele, porque adora aquela personalidade fria do malandrão. Na medida em que os jogos foram passando, ela foi ficando cada vez mais jovem e infantilizada, para agradar aos pedófilos de plantão.
  • Zero (clone) - The King of Fighters gosta tanto de clones que chega até a lançar os clones antes dos personagens originais. Este veio com defeito de fabricação, sendo o clone do Freddie Mercury, mas ainda é apelão pra caramba quando começa a girar a saia.
  • May Lee - Uma coreana otaku que possui dupla personalidade (uma com cachecol vermelho e outra sem) e foi chamada de última hora para substituir o Jhun. A personagem foi proibida de ser utilizada nos KOF 2001 e 2002 porque, por algum motivo, o desenvolvedor decidiu que seria possível fazer combos infinitos com ela só dando uma sequência simples de bicudas.
  • K9999 - Esse aqui é um filho do capeta com um zumbi do Resident Evil, e um clone do Tetsuo de Akira (ou seja, mais um sub-clone do Kyo), ultrapassando os limites dos direitos autorais e sendo o primeiro personagem de KOF processado e proibido, precisando ser substituído pelo genérico Nameless, outro clone sem inspiração, mas pelo menos é um plágio menos descarado. Ele é utilizado apenas por noobs, porque seus golpes ocupam a tela inteira e assim fica fácil jogar com ele.
  • Angel - Uma puta desengonçada que já deu mais que a tia do Batman, ama chupar um pirulito e botar chifre em si mesma. Às vezes a voz de criança de 10 anos confunde, mas essa é a mais peituda de toda a série, mais até que a Mai. No KOF 2001 é praticamente uma deusa por causa do tanto de combo que consegue fazer, mas foi piorando até estar como uma das piores em KOF XIV, e atualmente só serve para hentai.
  • Foxy- Tenta ajudar a amiga Kula a congelar o mundo, mas acaba se fudendo bonito e morrendo. Na verdade não morreu, mas como a SNK esqueceu que ela existe mesmo, então é isso aí. Atualmente trabalha como babá da Kula.
  • Zero (original) - O Zero de verdade consegue ser ainda mais apelão que o clone, e ainda tem um leão negro de estimação, o Krizalid, e um ninja idoso para o ajudarem.
  • Igniz - O chefão do grupo NESTS, é tão apelão quanto bicha, tanto é que mandou matar a Foxy apenas por ter inveja do cabelo dela. Mas acaba sendo transformado em churrasco.

Apresentados do KOF 2003 ao KOF XIII[editar]

Elisabeth levando Ash num puteiro para ver se consegue transformá-lo em macho.
  • Ash Crimson - Lançado em KOF 2003 para mostrar como a série não tem limites quando o assunto é criar personagens viados, esse aqui é uma bicha má, um viadão glamouroso e muito ambicioso que sonha em roubar a maquiagem da Chizuru, comer o toba do Iori e dar pro Kyo. Os dois primeiros objetivos ele até conclui, mas antes de conseguir dar pro Kyo, ele acaba sendo enrabado por um negão do passado e morre.
  • Duo Lon - Marido da Xuxa e irmão de um cantor/surfista fracassado Filipe DioLon. É outra que nem consegue disfarçar que desmunheca.
  • Shen Woo - Um surrador profissional de baitingas que vive falando merda e espancando todo mundo sem razão aparente, sendo assim um fodão bastante aleatório. Serve para mostrar como a SNK sabe também se auto-plagiar, porque se você perceber bem, é apenas o Ryo.
  • Malin- Uma trombadinha assassina que, por não ser peituda como o restante das outras personagens femininas, acha que por isso é obrigada a se comportar como um pivete. Gosta de brincar de ioiô e de enfiá-lo no cu dos outros.
  • Kusanagi - E o Kyo ganha mais um clone! Daqui há uns cinco jogos vai dar pra fazer um The King of Fighters só com os clones do Kyo. Esse foi criado pela Chizuru, mas acabou morrendo pra Kyo, Iori e K'.
  • Maki Kagura - Parece a irmã gêmea (imaginária) da Chizuru. Mas na verdade é o reflexo dela no espelho que saiu e ganhou vida (pois é, não faz sentido). Tem quem ache que é a própria Chizuru com personalidade dupla. Tanto faz, porque ela morreu. De novo.
  • Adelheid Bernstein - Filho gay do Rugal que foi rejeitado pelo pai pela sua boiolice. Atualmente mora num dirigível voador com a irmã mais nova, a Rose Bernstein, que também foi rejeitada pelo pai por ser uma piranha. Vivendo eternamente na sombra do pai, Adelheid é um chefão ruim e frustrado que serve para ser enfrentado apenas por noobs que não desbloquearam os chefes secretos e verdadeiros.
  • Mukai - Chefe do novo grupo dos Orochi (mas eles não tinham morrido?), controla a terra e é apelão como todo chefe de King of Fighters. Usa uma das roupas mais ridículas já vistas na história dos videogames, parece até uma mulher de saia sem camisa.
  • Elisabeth Blanctorche - Amiga de infância de Ash e que possui um amor não correspondido pelo viado, pelo fato de ser uma mulher gostosa. Ela tenta contornar isso agindo como homem, inclusive sexualmente, usando chicotes e strap-ons, mas como Ash quer mesmo uma rola de verdade e de carne, Elisabeth é negada até o final.
  • Oswald - Ninguém sabe como a SNK consegue fazer personagens tão toscos... Esse aqui é um tiozinho de meia-idade que adora jogar Yu-Gi-Oh!, ou seja: qual a lógica dele estar num KOF?
  • Momoko - O que faltava num KOF? Uma funkeira loli! Por que não? Se existe a MC Melody na vida real, não é de se estranhar a presença dessa personagem.
  • Sho Hayate, Gai Tendou, Jazu e Silver - Vieram de jogos fracassados da SNK (quer dizer, de jogos AINDA MAIS fracassados) pra tentar a vida como subchefes de The King of Fighters. São tão irrelevantes que podem compartilhar o mesmo parágrafo aqui.
  • Shion - Putinha do Magaki, entrou pelo buraco (literalmente). Em uma franquia com tantos personagens gays, afeminados e afins, o Shion ganha o prêmio: parece mulher, tem voz de mulher, anda como mulher, faz pose de mulher, luta mal como mulher, tem corpo de mulher, se interessa por cozinha e parece uma chinesinha bem gatinha. Ao contrário do King, todavia, não cortou o pinto.
  • Magaki - Outro chefe do novo grupo dos Orochi, parece mais um digimon. Tem cabelo de pena de galinha e pele cor-de-rosa. Consegue ser mais apelão que o Mukai.
  • Saiki - Irmão gêmeo que é o tio do Ash, quase idêntico só que ainda mais glamouroso todo de branco. Mas como possui dupla personalidade, também se pinta de tinta guache vermelha e fica peladão no dia da parada gay.
  • Dark Ash - Sem muita criatividade, é apenas o Ash usando roupa preta. Também manifesta problemas de bipolaridade e solta gases cutâneos com corante preto.

Apresentados no KOF XIV[editar]

A SNK é conhecida por sempre ter cagado para os SJW (pois sabe que eles nem compram jogos mesmo) e seu mimimi sobre a objetificação da mulher (mesmo sendo apenas pixels e polígonos, não mulheres de verdade), por isso não se importam em trazer putas e mais putas para seus jogos; e se reclamar, fazem como em KOF XIV e trazem uma Athena ainda mais coxuda e uma Angel ainda mais peituda, com um decotão ainda mais aberto.
  • Shun'ei - Tentativa completamente frustrada de trazer um novo protagonista, um kofeiro que se preze sequer cogita a existência desse moleque. Quando você acha que a SNK se superou ao criar o Ash, agora traz um vocaloid virjão para ser o novo protagonista da nova saga. Ele é tão sem sal que nem usa os braços, e sim umas macumbas que fazem um par de mãos gigantes surgirem para bater nos adversários.
  • Meitenkun - Um lutador que gosta de dormir... isso mesmo, DORMIR! O que diabos a SNK tem na cabeça pra trazer uns pivetes desses? Quem vai querer escolher um personagem tosco assim?
  • Sylvie Paula Paula - Não bastasse a Athena, trouxeram mais uma retardada otaka. Toda multicolorida, só mais uma guria extremamente espalhafatosa que só serve pra hentai, porque pelo menos aqueles desenhos de putaria japonesa são publicados em preto e branco.
  • Kukri - Com seu jeitão misterioso e assassino, talvez ele seja o personagem mais maneiro do novo KOF. Mas como a SNK sempre vai dar um jeito de estragar qualquer personagem que você ache legal, ele é transformado num completo retardado em SNK Heroines: Tag Team Frenzy.
  • Mian - A SNK, após receber críticas pesadas ao longo dos anos de que seus jogos tinham só putas e viados, decidiu trazer uma personagem feminina que estivesse com roupas, sendo ela a primeira personagem de um KOF que não exibe as coxas, barriga ou decote. Mas é claro que sempre vai ter aquele pervertido que vai notar que a roupa da Mian tem um corte nas axilas, e que sim, Mian tem axilas raspadas, sedosas e bem hidratadas.
  • Nelson - Se fosse para trazer um "personagem novo" boxeador que fosse tão merda e tão genérico assim, era só manter o Heavy D!. Ainda bem que trouxeram a Vanessa de volta.
  • Zarina - Na onda da Laura Matsuda, a SNK também decidiu trazer uma atriz pornô mulata brasileira para seu game, com o diferencial de que esta tem um tucano de estimação (mas que merda hein) e é naturalizada brasileira, nascida na Colômbia. Tem uma roupa amarela lá, mas ela está praticamente pelada, pois as fendas da roupa ficam justamente nos seios, na buceta e no cu.
  • Bandeiras Hattori - A SNK esqueceu que já havia criado um capoeirista chamado Richard Meyer e acabou criando um segundo capoeirista brasileiro por acidente.
  • Gang-il - Como a série KOF estava ficando cheia de putas, a SNK precisou introduzir também um comedor de putas, assim trazendo esse tiozão grisalho aleatório para ser mais um cafetão.
  • Luong - Todo novo The King of Fighters precisa trazer pelo menos uma prostituta nova, e Luong foi a novidade da edição XIV. Ela é uma morena sem vergonha cujos golpes sempre a colocam em cenas obscenas com seus adversários, sem exceção.
  • King of Dinosaurs - OK... acho que a SNK está começando a ir longe demais.
  • Nakoruru - Personagem importada de Samurai Shodown que foi incluída em KOF XIV para servir como anti-apelação, tornando-se ela própria uma puta apelação, especialmente quando o jogador sabe usar aquele "bem-te-vi" dela que corta qualquer ataque. QUALQUER ATAQUE, até mesmo o gilete do Rugal, se ele estivesse no jogo.
  • Mui Mui - Uma chinesinha genérica que foi criada para agradar o Xi Jinping, um otaku enrustido que decidiu que só entrariam na China filmes e jogos que tivessem pelo menos uma chinesa charmosinha não sexualizada. Então ali está a Mui Mui.
  • Love Heart - Mais uma personagem feminina, ou melhor, mais uma puta. Essa aqui é uma cosplayer semi-profissional que gosta de se vestir de cowboy, policial e principalmente de pirata. Apesar de ter uma espada do Thundercats, mal usa essa arma direito porque na verdade é só um brinquedo de plástico, então o dano é sempre mínimo.
  • Xanadu - Como o KOF XIV já estava virando uma grande galhofa mesmo, colocaram esse obeso escroto.
  • Hein - Hein? Já não havia mais o que pensar para colocar de novo no jogo, então trouxeram até o mordomo do Rugal.
  • Alice Garnet Nakata - Apenas o gender bender do Terry, antes do próprio realmente trocar de sexo em SNK Heroines: Tag Team Frenzy.
  • Antonov - Um Zangief russo que é o novo organizador de KOFs a partir do XIV.
  • Verse - Difícil definir o que esse bicho é, porque a história não explica muito, mas o que se sabe é que é basicamente um armário que ganhou vida.
  • Najd - Ninguém sabe de onde veio essa mulher que apareceu num dos DLCs de KOF XIV, mas como ela usa roupas demais, ao contrário da Mian não dá para ver nem suas axilas, só dá pra ver apenas o seu rosto. Ela foi considerada como a primeira personagem feminina maior de idade da série que não é puta, por isso não fez o menor sucesso.

Insignificantes do KOF EX[editar]

  • Moe Habana - Na verdade era para ser a Blue Mary ali naquele KOF de GBA, mas como a cor vermelha era muito complicada e avançada para os humildes padrões da plataforma, fizeram a blusinha dela verde e o cabelo marrom, aí acharam que era outra mulher e a SNK criou essa personagem por acidente.
  • Reiji Oogami - Já que criaram a Moe sem querer, então colocaram uns personagens novos de verdade, como esse rascunho do Shen Woo.
  • Jun Kagami - Se estamos falando de um KOF novo, uma das obrigatoriedades é que ele tenha uma puta nova. A Jun está ali para isso, vestindo nada mais que uma lingerie "vermelha".
  • Miu Kurosaki - Que a SNK gosta de garotinhas colegiais, isso sabemos, desde a Athena. Por isso não viram problemas em trazer essa garotinha gótica.

Insignificantes do KOF: Maximum Impact 1 e KOF Maximum Impact 2[editar]

Tipo de palhaçada carnavalesca que a série Maximum Impact possibilitou.
  • Alba Meira - Filho emo do Tarcísio Meira, é o protagonista do Maximum Impact, no qual, a exemplo de Terry e Andy no Fatal Fury, Kyo e Iori na saga Orochi e K' na saga NESTS, também está atrás de vingança.
  • Soiree Meira - Filho gay de Tarcísio Meira e que morre no final, é tipo o Luigi dessa saga, só vive na sombra do irmão.
  • Lien Neville - Uma ninfomaníaca que finge ser uma agente secreta, mas qualquer idiota sabe muito bem que é só mais uma prostituta; basta ver a roupa que ela usa, que deixa seus peitões siliconados todos de fora.
  • Chae Lin - Na verdade, "ela" nada mais é que um gender bender do Kim Kaphwan, sendo o próprio, só que amaldiçoado por Mudman e transformado em mulher. Sua missão no Maximum Impact é tentar voltar a ser homem, o que consegue.
  • Mignon Beart - Uma filha da puta que é cover da Haruno Sakura, sendo uma atirada igual a ela. Sim, mais uma otaku, uma versão ainda mais retardada da Athena.
  • Luise Meyrink - Um transexual meio mulher meio borboleta que luta usando poderes de purpurina. O Ash ressuscitou só para ter a chance de encontrar essa diva.
  • Nagase - Uma ninja baixinha que usa tênis All Star. A completa ausência de sex appeal dessa personagem faz dela uma das mais esquecíveis.
  • Hyena - Cafetão falido que teve seus negócios arruinados por um cafetão melhor chamado Duke, agora precisa encontrar novas putas para conseguir manter seus negócios, e de preferência também arruinar os negócios de Duke.
  • Lilly Kane - Dizem que é a irmã do Billy Kane, mas a irmãzinha do Billy nunca foi de ser violenta daquele jeito, então na verdade é apenas o próprio Billy num universo alternativo.
  • Ninon Beart - Uma lolita gótica e depressiva que está ali para ser o contraponto da Mignon Beart, toda de preto e metidinha a trevosa, coisa de adolescente.
  • Xiao Lon - Mulher esquisita que acredita-se ser a responsável pela moda na série Maximum Impact e por ter vestido todas as roupas alternativas dos personagens, pois ela se veste como se estivesse indo para um carnaval em Salvador ou passando por Olinda.
  • Duke - Cafetão que visa controlar todos as putas de Southtown, causando um colapso na economia local e por isso tornando-se o chefão de Maximum Impact 1.
  • Jivatma - Se Duke queria o monopólio da prostituição para si, esse aqui é ainda mais radical e deseja a extinção da prostituição, ou seja, deseja matar todas as putas. Desnecessário relembrar que ele é só um viadão esquisito por ter um objetivo desses em mente.

Kofeiros[editar]

É denominado de "kofeiro" o cidadão que é viciado em pelo menos um jogo de The King of Fighters. Considera-se como "viciado" aquela pessoa sem nada de melhor pra fazer da vida e que se dedica exclusivamente a ficar decorando combos, golpes e maneiras de escapar dos possíveis combos de cada um dos possíveis personagens adversários. O kofeiro, ao invés de trabalhar, estudar pro vestibular, pro concurso público ou simplesmente fazer algo para ser uma pessoa melhor na vida, vai se dedicar por meses testando todo tipo de combo possível com seu personagem favorito. Só kofeiros fazem coisas do tipo: soltar uma magia, dar um dash sem segurar a alavanca para dar soco fraco, pulo médio-baixo com cascudo para encaixar com uma rasteira, soquinho antes do adversário recuperar, estourar só uma barra, chamar um striker de pegada no chão que permite uma sequência de dois socos fortes, uma prensada na parede com cancelada, chamar o segundo striker de voadora, encaixar um combo infinito, etc. Estes seres cada vez mais raros possuem um vocabulário todo próprio, com expressões como: "cancelar", "dar secretão", "estourar barra", "strikar", "dar o róri", "cortar especial" e "para de pular Choi filho de uma puta".

Como KOF é um jogo relativamente difícil, todo kofeiro é um ser pedante que menospreza os outros jogos de luta, afirmando que quem joga um Marvel vs. Capcom da vida ou outros assim são todos uns noobs. Obviamente, devido a essa arrogância toda, todo kofeiro que se preze vai automaticamente menosprezar e fingir que nem existem jogos como KOF: Maximum Impact 2 e The King of Fighters XIV, onde até um demente tendo um AVC consegue fazer combos mirabolantes sem conhecimento prévio do jogo.

Por dedicar toda sua vida somente ao KOF, sempre que um kofeiro for jogar um SoulCalibur, Street Fighter, Mortal Kombat ou qualquer jogo sem combo infinito, vai apanhar igual um burro na roça e vai sempre colocar a culpa no jogo, dizer que o jogo é desbalanceado e que apenas o KOF é balanceado e justo. E quando esse mesmo kofeiro apanhar num KOF, vai dizer que aquela versão do KOF é horrível e desbalanceada e que bom e justo é o KOF 2002. E caso o kofeiro apanhe no KOF 2002, então a culpa será do controle, que não está respondendo aos comandos adequadamente, porque o kofeiro é bom demais e o controle não consegue traduzir em movimentos as suas estratégias totalmente excelentes e magistrais.

Tipos de jogadores[editar]

  • Retranqueiro safado - Aquele que escolhe Choi, Billy, Yuri ou Athena e foge toda hora. Na maior parte do tempo está do outro lado da tela só mandando magia, voando pra trás, esperando um pulo pra dar rasteira ou um "rori". Esses também são carinhosamente chamados de fela da puta safado e jogador porco. Eles se cagam somente se o adversário escolher Leona ou Blue Mary, que são duas especialistas em róri e cortam os pulos incessantes dos retranqueiros.
Aqui vemos um infiniteiro usando a clássica Vanessa e explodindo o pau do Rugal em 42 hits. O noob achou que escolher este último o salvaria de uma sova.
  • Infiniteiro - É aquele cara que escolhe o K', Vanessa, May Lee ou Angel e sabe apenas uma coisa de cor: o combo 100% desses malditos. São aqueles jogadores que dependem de encaixar um combo infinito pra ganhar uma partida, sendo isso a única coisa que vão tentar fazer. O truque mais comum é usar a Angel e prensar o oponente no canto da tela a fim de acertá-lo infinitas vezes. Parece simples, mas não é assim; normalmente um infiniteiro precisa de dias de treinamento intensivo dessa técnica milenar, porque se errar um único botão, ele não conclui o infinito e certamente ele perde a ficha, pois só sabe vencer dessa forma.
  • Apelão desgraçado - Uma classe de viciado vinda de Apelândia superior aos infiniteiros. Esses seres passam horas treinando e se aperfeiçoando ao ponto de saber até as diferenças sutis entre as rasteirinhas. Um apelão vai conhecer decorado qual o melhor trio de cada versão de KOF e qual as vantagens e desvantagens de cada personagem. E se você mudar os seus, então ele vai e muda os dele de novo. Quando você vê aquele cara de Vanessa, Choi, Goro ou Athena, já sabe que a apelação está vindo. Não permita jamais que um cara desses use a Leona Louca e o Iori Babão, muito menos o Rugal; se o ver selecionando tais personagens, comece a acusá-lo de desequilibrado e sem graça até ele escolher um trio menos apelativo.
  • Spameiro - Parece o retranqueiro, mas é só aquele carinha que escolhe personagens como Athena, Bao e King, vai pro canto do cenário e começa a spamear magia no cenário. Quando o adversário consegue a sorte de se aproximar, toma rasteirinha e magia. São os mais chatos e os mais difíceis de argumentar contra, pois vão sempre dizer que "soltar magia não é contra as regras".
  • Counterzeiro - Classe mais rara de jogadores porque esses se especializaram exclusivamente na Kasumi Todoh. Um viciado na rainha dos counters vai cortar todos os seus ataques, cancelar todos os seus ataques, desviar de todos os seus ataques e transformar sua jogatina num grande inferno.
  • Farofeiros - É aquele jogador noob, mas muito noob, que sempre faz um golpe na loucura tentando adivinhar o que o outro vai fazer, mas acaba se fodendo. Sempre que cai no chão ele tenta levantar fazendo um golpe especial ou um "rori", na esperança de ver o oponente tomar dentro, mas ele sempre acaba ficando no vácuo e livre pra ser arrebentado de todas as formas possíveis até perder a ficha.
  • Noob cagão - Essa é uma classe de noobs que jogam apenas as versões simplificadas, tais como KOF XIV e KOF Maximum Impact, onde você aperta só uns 3 botões e já faz um combo automático que ocupa a tela inteira. Eles causam ódio nos kofeiros porque nunca treinaram na vida mas vencem especialistas treinados apenas massacrando o controle com botões aleatórios. Para ter uma revanche contra esses seres é necessário convencê-los a jogar o KOF 98 ou 2002, onde os combos são mais determinados e é impossível executá-los na cagada.