Desnotícias:Newcastle é comprado por magnata saudita, sendo renomeado para Manchester City 2.0

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar

Este artigo é parte do Desnotícias, a sua fonte de ignorância 24 horas por dia.

NEWCASTLE, Inglaterra

O elenco do time em cinco anos no futuro.

O Newcastle United Football Club era um timeco falido da Premier League, um Bahia ou Sport da Inglaterra, aquele tipo de time que vive fugindo do rebaixamento todo santo ano, isso caso já não esteja rebaixado. E eu até poderia chama-lo de Vasco inglês, porém ao menos tradição e títulos mais ou menos recentes do Vaxxxco de certeza tem. Já o Novocastelo não ganha um título desde o nascimento da rainha Elizabeth... Porém, provavelmente, toda esse história de vergonha e pouquíssimo destaque está para terminar. Isso porque um homem-bomba multimilionário da Arábia Saudita acaba de comprar essa porcaria de time, transformando-o no time mais rico do planeta Terra, superando até mesmo times como o Manchester City e o PSG.

Pra falar a verdade, esse sultão é escroto de rico, sendo 10000000 vezes mais rico do que os donos dos times citados anteriormente, o que significa que, se um time que se parece mais um mendigo quando comparado ao novo Newcastle conseguiu comprar Neymar, Messi e Sérgio Ramos, mesmo não ganhando cu nenhum de título, esse Megazord do futebol pode muito bem pagar um harém com 1000 concubinas para os seus jogadores por dia, e desse modo atrair em um só time Cristiano Ronaldo, Mbappé, comprar uma fonte de juventude para rejuvenescer o Pelé, comprae um laboratório para reviver o Maradona, e por ai vai. Com isso fique em alerta pois, daqui a 5 anos um novo time irá se juntar ao PSG, Manchester City e o Atlético Mineiro para formar o quarteto dos times que têm dinheiro sobrando pra contratar até o papa Francisco pro time deles, porém ganhar título que é bom eles não conseguem ...

Fontes[editar]

Compartilhe
essa desnotícia:
Compartilhar via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram